sexta-feira, 20 de abril de 2012

Moto-contínuo















Seu toque macio
de penas de ganso
me afaga no ninho
desse seu olhar.

Eu pouso e repouso
querendo descanso
no jeito moreno,
no tipo garoto
malandro de esquina:
os olhos velados,
os dentes à mostra,
cigarro apagado
no canto da boca,
o riso maroto
cheirando a whisky
com água gasosa
me deixam em brasa,
me fazem menina;
a prosa, sem rima,
toda musical,
mineira, matreira,
me enleva e alucina
e eis que sou rosa
- ainda esta vez -
quase virginal.

E, então vai embora,
dizendo que é hora
de um novo descanso
sobre o meu desejo
de um nunca acabar
dessa ladainha...

Mas como não vê
que sou coroinha
que reza e repete
o mesmo missal?


Curiosidades:

Poema dolivro Vinhos, em Mélicos, ed.Nankin

8 comentários:

  1. OH MY GOSH!!!!

    (No coments...........) rs Lindo.

    ResponderExcluir
  2. Linda poesia!!!
    Um final de semana abençoado!!!
    Grande Abraço!!!
    http://www.luceliamuniz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Lucélia! Um lindo final de semana pra vc também!

    ResponderExcluir
  4. Maria Tereza, só agora a vi que meu agradecimento ao seu comentário sumiu com a postage... vc é muito querida! Bjks

    ResponderExcluir
  5. Minha linda, volto hoje pra te dizer mais uma vez do meu carinho e enorme admiração.
    Amo tudo o que você escreve e este, para o seu amor-marido-namorado é um dos mais belos.

    Feliz noite dos namorados, com tudo de melhor e todos os clichês que a gente merece! kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida. vc sempre gentil! Curta muito o seu namorido amado por aí!

      Excluir
  6. Respostas
    1. Patrícia, obrigada pelo seu ler amigo, lindinha! Bjnhs

      Excluir

Que bom que quis comentar. Pode esperar que logo respondo. Obrigadinha.